5 dicas de segurança para cachorros na piscina

Quem tem piscina e cachorros sabe que, muitas vezes, essa não é a combinação mais adequada.

Deixar os animais em volta da água consiste em uma atitude capaz de arriscar a vida dos pets, principalmente os de raças mais propensas a afundar, como pugs, boxers e shih tzus.

Por isso, garantir a segurança dos cachorros na piscina é fundamental para evitar acidentes que, costumeiramente, são fatais. Mas não se preocupe: continue a leitura e veja cinco dicas incríveis de prevenção para o seu pet!

1. Ensine o cão a nadar

Jamais jogue o cachorro na piscina esperando que ele nade sozinho. A atitude de esperar que o animal nade por instinto, além de ser frustrante, pode causar um trauma e muito estresse no pet, fazendo com que ele nunca mais queira chegar perto de água.

Comece com treinamentos calmos até que ele se familiarize com o ambiente. Leve-o para perto da piscina e inicie molhando, aos poucos, o corpo do animal. Depois que ele gostar e se acostumar, coloque-o na água, sempre sob seu controle. Você pode utilizar brinquedos e petiscos para deixar o momento menos tenso.

2. Mostre como entrar e sair da piscina

O peludo precisa saber como entrar e sair da piscina. Assim, quando estiver cansado ou não quiser mais brincar, ele pode tomar a própria decisão de deixar o ambiente.

Se a piscina não tiver degraus fáceis e largos ou uma parte mais rasa, encontre uma maneira de adequação para que o animal se sinta confortável em sair da água.

3. Crie um cercado ao redor da água

Principalmente para quem tem cachorros que não sabem nadar, é fundamental criar um cercado ao redor da piscina com o objetivo de evitar que ele tenha contato não supervisado com a água.

As cercas ajudam a proteger seu pet caso ele queira entrar na piscina quando você não estiver olhando. Isso porque, mesmo que saiba nadar, ele pode ter câimbras e dificuldade para deixar a água.

4. Respeite o cão

Alguns cachorros adoram nadar, outros não. Por isso, respeite a vontade do seu cão.

Se ele não gosta de entrar na piscina, não o force a esse tipo de comportamento. Deixe-o à vontade para decidir o que deseja fazer.

5. Tenha atenção redobrada

Um cachorro na piscina exige os mesmos cuidados que uma criança. Além de supervisionar, evite a exposição solar nos períodos muito quentes (entre 10h e 16h). Invista também em um protetor solar canino para impedir queimaduras.

Ao sair da piscina, dê um banho com água natural para retirar do animal cloro e evitar otite e outros problemas de pele. Além disso, lembre-se de secar bem as orelhas do pet para reduzir a possibilidade de surgimento de problemas auditivos.

Cachorros na piscina significam a necessidade de o dono tomar bastante cuidado, mas essa combinação pode sim dar certo. Para isso, é preciso ficar de olho em algumas dicas de segurança capazes de tornar o momento tranquilo e divertido para todos os membros da sua família (isso inclui o seu pet!).

Gostou de saber mais sobre cachorros na piscina? Então siga-nos nas redes sociais e acompanhe nossas publicações: estamos no Instagram e no Facebook!