Cachorro estressado: como identificar que o seu amigo precisa de ajuda?

Você sabia que também existe cachorro estressado? Esses abalos emocionais podem afetar os animais da mesma forma como aos seres humanos. Entretanto, para os pets, isso requer um cuidado maior, porque eles não sabem como explicar ou expressar o que estão sentindo.

Neste texto, explicamos os impactos do estresse para o cachorro e listamos alguns sinais que podem ajudá-lo a identificar se seu amigo está passando por isso. Leia atentamente!

Impactos negativos do estresse para o cão

Certamente, você já passou por um momento de estresse em sua vida. Também é verdade que isso deve ter causado abalos em seu estado psicológico e na sua saúde. Isso não varia muito no caso de um cachorro estressado.

Assim como para os humanos, quando um animal passa por um momento de estresse, ele fica emocional e fisicamente sensível. Além de sofrer mudanças em seu comportamento, o pet também pode adoecer.

Isso acontece especialmente por ele não saber como lidar com o que está sentindo e não conseguir pedir ajuda. Então, é importante estar atento para identificar os sintomas do estresse no seu cachorro, a fim de que ele não desenvolva um problema ainda mais grave.

Dicas para identificar um cachorro estressado

Antes de tudo, você precisa conhecer o seu animal para perceber os sintomas de qualquer doença. É comum que ele mude a forma como age e se comporta, e o tutor precisa saber identificar essas mudanças no temperamento do seu amigo.

Como os sintomas do estresse variam de cachorro para cachorro, considere a personalidade do seu pet e fique alerta aos seguintes sinais:

Latido excessivo

O cão late quando se sente incomodado com algo, mas no caso de um cachorro estressado, esse latido é constante e sem nenhum motivo aparente. Se esse não é um costume do seu amigo, pode indicar que ele está precisando de atenção ou tentando dizer alguma coisa.

Alterações no sono

O distúrbio do sono também pode ser um sintoma. O mais comum é dormir demais, ao ponto de ficar apático e sem energia. Porém, pode acontecer o contrário: o cãozinho fica sempre agitado e não quer dormir. Nesse caso, qualquer novidade o deixa muito ativo e impaciente.

Perda de apetite

A falta de interesse pela comida é mais um sintoma do estresse em cachorros. Não é natural que eles recusem o alimento, comam menos ou parem completamente de comer. Esse é um sinal que exige muita atenção para evitar a perda de peso e a desnutrição.

Agressividade

O cachorro estressado também pode ficar mais agressivo, e isso é notado principalmente naqueles que têm um temperamento calmo e tranquilo. Essa agressividade pode ser diferente: além da irritação, o cão assume uma postura corporal de medo e insegurança.

Opção pelo isolamento

Preferir ficar isolado de todo mundo é um sinal de estresse. Além de dormir demais, o cachorro pode optar por ficar quieto no seu canto e não interagir ou brinca. Esse também pode ser um indício de que ele já esteja ficando deprimido.

Necessidades no lugar errado

Mesmo  os cachorros que foram treinados e sabem no lugar certo de fazer as suas necessidades podem mudar esse comportamento quando estressados. Eles perdem a capacidade de discernir as regras que aprenderam, além de nem sempre conseguirem se controlar.

Problemas gastrointestinais

A ansiedade e o nervosismo podem abalar o estômago e intestino dos seres humanos, certo? Sabia que isso também acontece com o cachorro? Vômitos, diarreia ou constipação, quando associados a outros sintomas, podem indicar que o animal está vivendo um momento de estresse.

Se você tiver um cachorro estressado em casa é importante procurar um veterinário o quanto antes. Ele fará exames para analisar se o animal está com a saúde abalada, além de indicar o que você pode fazer para melhorar o bem-estar do seu amigo para que ele recupere a alegria.

Você e seu pet já viveram uma situação como essa? Deixe um comentário abaixo e conte quais mudanças no comportamento você percebeu e o que fez para acabar com o estresse do seu cachorro.