Entenda agora qual é a importância do cinto de segurança para pets

A ligação que temos com nossos bichos de estimação é tão intensa que, além de dividirmos todos os cômodos da casa com eles, queremos levá-los para todos os lugares conosco, não é mesmo? Mas ter um amigo peludo é muito mais que diversão — é zelar pela sua saúde e bem-estar. E é por isso que o cinto de segurança para pets é um item indispensável para eles.

Mas como funciona o cinto para pets e como adaptar seu cão ao uso dele? Para responder a essas perguntas elaboramos este artigo para você! Boa leitura!

Por que usar o cinto de segurança para pets?

Ao entrar no seu carro, qual é a primeira coisa que você faz? Colocar o cinto de segurança, não é mesmo? Isso se tornou um hábito, pois você sabe que estará seguro se qualquer coisa acontecer no caminho. Com os pets é exatamente a mesma coisa.

Durante o percurso, se algum acidente acontecer ou mesmo no caso de uma freada brusca, seu cachorro será lançado de um lado para o outro, podendo se machucar e atingir quem mais estiver no veículo. Em uma colisão grave, existe o risco de seu peludo ser arremessado para fora, o que pode ser fatal.

Além disso, outra razão para usar o cinto é a distração que o pet solto pode causar. Na maioria dos casos, os cães ficam agitados e eufóricos dentro do carro e, em algum momento, você pode perder a atenção no trânsito ou tirar as mãos do volante para atendê-lo. Em qualquer situação, os riscos de acidente aumentam.

Como é o cinto de segurança para cães?

O cinto de segurança para pets é um acessório muito simples, mas bastante eficaz. Uma das extremidades do item é adaptada para ser fixada no próprio encaixe do cinto do automóvel e a outra para ser presa na coleira do cachorro.

O ideal é que a coleira seja do tipo peitoral, pois confere mais proteção ao seu pet. As coleiras de pescoço podem lesionar o seu companheiro.

Como adaptar os cães ao uso do cinto de segurança?

Se o seu cachorro for tranquilo e preferir viajar deitado, não vai ser difícil a adaptação. É preciso apenas prendê-lo ao cinto para que esteja pronto para o passeio! Agora, se o seu cão é curioso e adora saltar de uma janela para outra, ou é do tipo que fica nervoso com o movimento do carro, é preciso ir com calma.

Com o veículo desligado, prenda seu cãozinho ao cinto e brinque com ele um pouco até que ele se tranquilize. Ande devagar com o carro, conversando com ele ao longo do caminho. Em pouco tempo ele aprenderá a ficar no mesmo lugar e será mais fácil colocar o acessório nele.

O que diz a lei?

É bom lembrar que, embora o Código de Trânsito Brasileiro não especifique como deve ser feito o transporte de pets (você pode optar por bolsas, cadeirinhas, caixas ou grades de contenção), é obrigatório o uso de algum utensílio que preserve a segurança de todos. A falta dele é considerada infração média ou grave e resulta em multa e pontos na carteira.

Passeios curtos, viagens longas ou, até mesmo, uma visitinha ao veterinário, não importa qual seja a ocasião, o uso do cinto em seu cachorro, além de ser uma questão de responsabilidade social, é a garantia de que você e seu parceiro estarão sempre protegidos!

Gostou da leitura? Nosso artigo sobre a importância do cinto de segurança para pets foi esclarecedor para você? Então compartilhe essa informação com seus amigos nas redes sociais e espalhe esse conhecimento!