Tártaro em cães e gatos: como tratar?

Você sabia que nossos pets também precisam de cuidados com a higiene bucal? Assim como nos seres humanos, o tártaro em cães e gatos se desenvolve naturalmente. Porém, caso não seja tratado com regularidade, ele acarreta diversos problemas, como mau hálito, perda precoce dos dentes e proliferação de bactérias que podem atingir órgãos vitais dos pets.

Mas o que é, exatamente, o tártaro? Quais são os riscos que ele oferece aos cães e gatos e como preveni-lo? Essas são as perguntas que responderemos neste artigo. Continue a leitura e descubra!

O que é tártaro e quais as causas dele nos pets?

O tártaro em cães e gatos (também chamado de cálculo dentário) nada mais é que uma placa bacteriana causada pelo acúmulo de restos de alimento nos dentes, ao longo do tempo. Os sintomas do tártaro são facilmente detectados pelo mau hálito e pelas manchas amareladas ao redor dos dentes dos pets.

À medida que os pets vão envelhecendo, o tártaro age com mais facilidade, pois o esmalte que protege os dentes se desgasta ao longo da vida.

Quais são os riscos do tártaro em cães e gatos?

Engana-se quem pensa que o tártaro é inofensivo e traz apenas problemas de mau hálito e dentes amarelados aos nossos peludos. Essa calcificação causa irritação nas gengivas (gengivite) e, em longo prazo, provoca a reabsorção das raízes dos dentes. Se não tratado a tempo, o tártaro pode levar à perda da dentição.

Além disso, as bactérias que se proliferam e se acumulam fácil e rapidamente podem migrar pela corrente sanguínea dos animais e alcançar órgãos vitais, como coração, fígado e rins. O desenvolvimento de outras doenças (como meningite, artrite, bronquite e insuficiências renal e cardíaca) pode levá-los à morte.

Como é o tratamento de tártaro nos pets?

O tratamento de tártaro em cães e gatos é feito somente por um médico veterinário, normalmente especializado em odontologia veterinária. Para fazer a remoção das placas, os cães e gatos precisam passar por uma anestesia geral (somente assim o profissional consegue ter acesso às áreas afetadas).

Por causa da anestesia, os peludos precisam realizar exames pré-operatórios que confirmem que estejam saudáveis para passarem pelo procedimento. Tanto a anestesia quanto a técnica de retirada são simples e os pets podem voltar para casa no mesmo dia.

Quais são os cuidados para prevenir o tártaro?

A melhor forma de cuidar do tártaro em cães e gatos é prevenir que ele apareça e agir rapidamente quando ele surgir. Veja a seguir algumas dicas para isso.

Dê ração e petiscos que auxiliam na limpeza bucal

No mercado, estão disponíveis diversas rações de qualidade, produzidas com ingredientes que auxiliam na limpeza dos dentes e na prevenção do tártaro.

Faça a escovação regularmente

A remoção física do tártaro é, sem dúvida, a maneira mais eficiente de evitá-lo. Isso é possível por meio da escovação diária dos dentes, por 15 minutos. Caso você não consiga fazer a limpeza todos os dias, faça, pelo menos, uma vez por semana.

Use produtos adequados para a higiene bucal

Não utilize o seu creme dental no seu pet, pois ele pode se intoxicar ao engolir. Existem opções de pastas de dente especiais, palatáveis e digestíveis, que são encontradas com facilidade em pet shops, assim como escovas dentais próprias para cães e gatos. 

O tártaro em cães e gatos é uma condição natural e corriqueira, mas não pode ser negligenciado. O excesso de placas bacterianas, ao longo do tempo, sensibiliza e inflama as gengivas, provoca a perda dos dentes e pode ocasionar doenças fatais. Portanto, cuidar da higiene do seu peludo é uma responsabilidade e um ato de amor!

Nosso artigo foi esclarecedor? Então siga nossas páginas no Facebook e no Instagram para continuar acompanhando conteúdos exclusivos como este!